Loading...

domingo, 23 de maio de 2010

CONSELHOS DE UM BRUXO EXPERIENTE!


Conselhos de bruxo experiente
Publicado por Redação em 10/05/2010 às 16h42
Texto • Juliana Souza

Claudiney Prieto é um dos grandes responsáveis pelos recentes avanços da filosofia wiccaniana no Brasil. Dos seus pouco mais de 30 anos de idade, mais de 15 foram integralmente dedicados à religião da Deusa. Além de fundar e presidir por cerca de oito anos a Abrawicca – primeira associação pagã do Brasil –, Claudiney já tem sete livros publicados, sendo um deles Wicca: a religião da Deusa (Editora Gaia), o primeiro best-seller sobre o tema do país.

Com suas obras, palestras, cursos e entrevistas, o bruxo procura “resgatar a integridade da wicca”, esclarecendo todas as crenças equivocadas relacionadas ao paganismo através dos séculos. Na entrevista a seguir, ele fala sobre sua relação com o sagrado, lembra que wicca não é apenas magia e compartilha um pouco mais de seus ensinamentos. Confira!

Há um ditado que diz: “se você perguntar para quatro pagãos o que é a wicca, obterá cinco respostas diferentes”. E você, como define a wicca?

A wicca é uma religião que se submete à Deusa, que é a criadora da vida e de tudo o que nela existe. Esta Deusa se manifesta sob diferentes formas, nomes e atributos, e o contato com Ela – ou seja, com o Sagrado Feminino – é a principal busca dos wiccanianos. A wicca é um estilo de vida e uma religião que baseia seus valores no autoconhecimento e no respeito pela natureza. A wicca não é apenas magia. Aliás, é muito importante que o iniciante saiba disso: a magia é apenas uma parte da religião e é preciso ter muito cuidado ao praticá-la. Por isso temos dois princípios: “faça o que quiser, desde que não prejudique ninguém” e “tudo o que faço, para o bem ou para o mal, retorna nesta vida triplicado para mim”.

Você já teve contato com o sagrado feminino?

Sim. Quando a Deusa entra em nossa vida, ela a modifica de muitas formas. O maior presente que o contato com a Deusa pode nos dar é o autoconhecimento: durante nossa jornada como bruxos, aprendemos a conhecer melhor nossas limitações e potencialidades e, assim, encontramos nossa totalidade. Quando conhecemos a Deusa, entramos em contato, finalmente, com uma parte de nós que permaneceu oculta por muito tempo. Só assim passamos a conhecer melhor nosso poder e força interior. Nesse sentido, tenho avançado espiritualmente a cada dia, e isso só foi possível por causa do contato com a Deusa.

Com relação à magia, qual foi a sua experiência mais marcante?

A magia pode ser definida como o uso do pensamento focado para gerar transformações. Sem dúvida, minha experiência mais interessante com a magia está no fato de hoje conseguir alcançar tantas pessoas para falar sobre wicca, mudando os conceitos e estigmas negativos ainda associados a ela que pairam na cabeça de tantos. Esse é o meu maior ato mágico: transformar idéias equivocadas através da informação e do amor.

Quando você se tornou um wiccaniano, houve alguma resistência por parte da sua família?

Fui iniciado na wicca muito cedo, com apenas 16 anos. A religião foi apresentada por um amigo. Minha família sempre foi do candomblé e, quando soube da minha escolha, houve resistência sim, da mesma forma que haveria em qualquer família religiosa, católica ou evangélica, por exemplo. Mas pouco tempo depois tive total apoio dos meus familiares. Hoje em dia, minha mãe acompanha minhas palestras sempre que possível.

Qual é o foco do trabalho que você desenvolve atualmente?

Eu trabalho para resgatar a integridade da wicca, desmistificando todas as falsas crenças sobre a religião. Infelizmente, a wicca e seus sacerdotes ainda sofrem muito com o preconceito, pois quando os leigos ouvem a palavra “bruxo”, logo pensam em pessoas que praticam rituais malignos, o que não tem absolutamente nada a ver com a wicca.

O que uma pessoa precisa saber para se iniciar na wicca?

Para descobrir o universo da wicca é preciso ler de tudo, tanto coisas boas quanto ruins. Só assim o iniciante conseguirá criar um filtro pessoal para avaliar qual é o estilo de leitura que mais gosta, além de ganhar um conhecimento geral da religião. Em todo o mundo, grande parte dos wiccanianos se inicia através de livros, pois nem sempre é fácil encontrar um grupo para praticar em conjunto. Mas é claro que, quando é possível se juntar a um coven, essa é a melhor alternativa: sempre que temos a oportunidade de compartilhar idéias, o aprendizado se dá de forma mais consistente. Meu conselho é: procure transformar suas palavras em ações! Todas as religiões têm muito discurso, mas o que precisamos agora é fazer de nossas vidas um conjunto de iniciativas capazes de mudar o mundo, para que ele possa ser curado. A Terra é o princípio da nossa cura.


Autor best-seller e bruxo gabaritado, Claudiney Prieto é um dos nomes mais atuantes no meio wiccaniano do Brasil. Saiba um pouco mais sobre ele e anote suas dicas para quem está ingressando agora na religião





EU DESEJO, QUE TENHAM UMA BOA NOITE!!
E UMA BOA SEMANA!
ASSIM SEJA!!
ASSIM SE FAÇA!

Nenhum comentário: